13 de dezembro de 2007

O velho e o jovem samurai

Outro dia numa conversa no largo de Bangu um inconveniente mendigo nos incomodou um tanto, mas tive que ser enérgico não com ele e sim com meus amigos que deram repercussão ao que o mendigo interferia na nossa conversa, dai citei rapidamente um texto que aprendi alguns anos a traz e um dos colegas me pediu para conta-lo na integra aqui para que ele pudesse estudar o tema.

Ai vai algo para vocês refletirem, mas é pra refletir e fazer algo e não dar uma de espelho. Essa historia foi contada a mim por um dos cara da NESIC, é da época do Kung-Fu-Tse(Confúcio para os ocidentais), tipo tempo do guaraná no bambu sem rolha.

O velho samurai e o jovem samurai
Um velho samurai aclamado como o melhor esgrimista do pais certa vez foi desafiado por o um jovem samurai aclamado como o segundo melhor, no dia marcado os dois acompanhados por seus respectivos céquitos se defrontaram num campo aberto, como a batalha seria entre os dois mestres eles fizeram toda aquela cerimonia e se postaram em guarda para o combate, katanas embainhadas como era comum nos estilos dos dois mas prontos para o ato mortal.
Então logo que se postou em guarda o jovem samurai percebeu com um rápido exame de seu oponente a experiencia do velho samurai, a postura firme como a montanha, leve como a pluma, tenaz como o louva-a-deus e veloz como vento, tudo isso percebido na simples posisão de guarda do velho samutai.Então o jovem samurai se pos a insultar o velho samurai chingando-o de todos os nomes e expreções chulas conhecidas, ofendeu tudo e todos ligados ao velho samurai, que impasivel aguardava um movimento que foce do jovem samurai para desferir o golpe fatal que terminharia com a vida do jovem desafiante antes mesmo dele perceber que havia sido fatiado.

Passadas horas de insultos dos mais escabrosos e infames o jovem desafiante se deu pro vencido e deu de ombros saindo desmoralizado por ter nem ao menos desembainhado a espada.

O velho samurai logo buscou um banquinho onde desabou pesadamente em perceptivel alivio fisico ao que os seus dicipulos rodearam-no perguntando em desaprovação ao comprotamento do velho mestre quase em coro porque o mestre não poz fim na vida do desafianta tão desbocado.
O velho samurai perguntou aos seus dicipulos se quando eles recebiam um presente quenão lhes era conveniente se eles simplesmente regeitavam o presente dizendo não me é interesante esse presente, pode levar de volta.

Eles responderam sim. Então o velho samurai esplicou que os insultos do jovem samurai eram como presentes que ele simplesmente regeitava pois naun eram do interese dele, isso transportado para a nossa cultura vira o manjado "entranuma orelha e sai pela outra", quando alguem te ofende vc simplesmente ignora a pessoa, pois se ela tem intenção de te atacar com meros insultos então naun é digna nem de ser enfrentada, vc só revida insultos quando realmente não tem como deixa-los passar por entre as orelhas e sumirem com o vento assim como todas as outras palavras que proferimos.

Agora isso é para o Augusto: Aquele indigente merece pena e despreso, pena de sua condição e despreso pra ele aprender a ser humilde que é o intuito dessa encarnação, assim, se ele aprender nessa encarnação que ser humilde é uma dadiva e não um incomodo ele retornará para o plano espiritual mais maduro e passará por provações e aprendizados que ainda naun passou deixando o orgulho mau contido e mau gerenciado em um local da sua pisique onde façã menos estragos aos que vivem em torno dele.

Sei que é chato ficar falando disso topda hora, mas leia "o livro dos espíritos" que vc comessa a entender melhor sobre isso que falo de ser uma pessoa melhor, de ser manso como o regato, firme como a montanha, rápido como o vento, tenaz como o louva-a-deus, e forte como o urso, tudo isso claro de mente e corpo pois não só os nossos musculos presisam de exercicio mas tambem a nossa mente com leituras, exercicios mentais, livros para enrriquecer nossa cultura e almentar o nosso cabedau de conheimentos e experiencias.

Agora quando te insultarem lembre-se do velho samurai que venceu sem nem mesmo desembainhar a sua espada.

E como sou samurai mas também sou moderno e acima disso sou nerd, la vai um cosplay que estou muito afim de fazer, mas isso num mês bem frio obviamente.

3 comentários:

ŽIh-Chåñ disse...

eu non ia ler, mas eu li na curiosidade..

¬¬

jah conhecia o texto u.ú

nikeisamurai disse...

eu também conhecia o texto, mas achei válida sua idéia de conscientizar as pessoas, você só precisa ficar esperto com seus erros ortográficos, ok?

V.A. disse...

"Eles responderam sim. Então o velho samurai esplicou que os insultos do jovem samurai eram como presentes que ele simplesmente regeitava pois naun eram do interese dele, isso transportado para a nossa cultura vira o manjado "entranuma orelha e sai pela outra"

Na verdade o ditado que se enquadra mais na situação do conto niponico seria o ditado "Vozes de burro não chegam ao céu"